Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Acto de contrição

por Maria Alfacinha, em 20.03.08

Sei que padeço de uma deficiência estranha, este não saber escrever quando não me sinto bem. É, talvez, a primeira faculdade que perco, talvez por ser aquela que me dói mais perder, uma dor tão grande que me abafa o sentir, me perturba o raciocínio e me deixa num estado de tristeza imensa que não consigo descrever. Mas as minhas dores, incapacidades ou manias não podem servir de desculpa para abandonar ou esquecer o mundo que me rodeia. 

Apercebi-me hoje - talvez fosse há mais tempo, não sei, o tempo por vezes não tem a dimensão que conhecemos, que aprendemos a medir - que tenho vivido tão embrenhada nos meus problemas e daqueles que me estão mais próximos e que também me afectam, que acabei por me alhear de tudo o resto. Não foi intencional, nem sequer pensei nisso. A vida por vezes troca-nos as voltas, enrola-nos os dias em marés vivas, e o instinto de sobrevivência sobrepõe-se a tudo o resto. Não porque os outros deixaram de ser importantes mas apenas porque concentramos todas as nossas forças num único objectivo: o de não nos afogarmos, de não nos esquecermos de nós mesmos, de não darmos qualquer oportunidade à desesperança de nos quebrar o Ser. Tudo o resto parece estranho, perfeitamente adiável e nem sequer ocupa qualquer espaço nas nossas prioridades. Mas nada disto serve de desculpa... ou não deveria servir. 

Este é o meu acto de contrição, a minha forma de agradecer as visitas mudas, as palavras que me deixam e que levo semanas a responder, apenas por não saber escrever. Mas é principalmente um acto de contrição dedicado à Carla e à Isabel, duas mulheres lindas e maravilhosas, amigas do peito há mais de 20 anos, minhas companheiras e irmãs que amo do fundo do coraçao - algo que nunca me esqueço de lhes dizer quando lhes escrevo - e que conseguem ter, a centenas de quilómetros de distância, as mãos estendidas e os braços sempre abertos para me acolher, relevando as suas próprias dores na compreensão e na disponibilidade com que posso sempre contar. Para vocês, minhas queridas, em jeito de agradecimento por existirem e por serem quem são na minha vida, deixo-vos este video, o mais parecido que encontrei com o concerto a que assistimos há muitos anos atrás, e o AMO-VOS MUITO que nunca me canso de repetir.

("Prontos" ! Disse-o publicamente ! Agora lidem lá com isso...)

 

                   

publicado às 09:00


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031




 






O Meu Alpendre


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D