Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cinema

por Maria Alfacinha, em 21.07.15

 

vertigens.jpg

"Beija-me", dizes-me, desvendando nos olhos um desejo maior que o da tua boca que manténs distante da minha. Sorris e o teu sorriso afaga-me, desenha o contorno do meu pescoço, desliza pelo meu ombro e repousa no meu peito, como se me tocasses. O comboio aproxima-se, pára, as portas abrem-se com um suspiro metálico e deixamo-nos empurrar, tu sempre segurando a minha mão, puxando-me para ti. E as gentes que entram, que forçam o meu corpo contra o teu, encaixam-me por baixo do teu casaco, a minha cabeça pouco acima do teu peito, o teu braço que descai e me rodeia, um arrepio percorre-me o corpo, e eu tremo, tento disfarçar, rio-me - "Bastava teres dito que me querias abraçar" - e tu baixas a cabeça, sussurrando em tom de quase queixa - "Não me beijaste..." - e eu ergo o rosto, devolvo-te o sorriso e mergulho nos teus olhos que me despem enquanto reflectem o desejo que me invade lentamente, a tua mão que descansa em curvas no meu corpo, o balanço da viagem que me empurra contra ti, o cheiro - meu Deus, o cheiro! - o teu cheiro que eu adivinhava, que não sei se é perfume, que se confunde com o meu, o teu cheiro que me embriaga, que me deixa zonza quando o misturo no teu olhar, e rodo sobre mim mesma, fecho os olhos e aconchego-me em ti, imaginando o teu beijo que não conheço.

 

Sinto-te. Sinto o teu cabelo que se mistura com o meu quando deixas descair a cabeça, roçando a tua boca na minha orelha, na minha face, a tua barba por fazer, e o meu coração que bate, bate tanto - “Deixa-te estar... não te mexas” - a tua voz grave suspirada junto ao meu pescoço, o teu calor, a tua mão na minha cintura, puxando-me, procurando o cós da camisola, o teu polegar que toca a minha pele, devagar, imperceptivelmente, e estremeço, o meu joelho bate na perna do homem de fato cinzento que se encontra à minha frente - “Desculpe...” - balbucio e adivinho o teu sorriso trocista, divertes-te com o que provocas em mim, espreitas por cima do meu ombro e a tua voz baixa - baixa, tão baixa - as tuas palavras que mal entendo - “Deixa-me ver o teu peito...” - e eu sinto que ele se retesa, cresce, orgulhoso, desafiante, roubando o pouco espaço que ainda era meu. O teu polegar, o teu polegar apenas, brinca com a minha pele e eu só penso no calor sufocante, e no meu coração que não abranda, que bate desordenado, que vejo a bater através da camisola, e que oiço, oiço-lhe as batidas abafando as conversas - bate tão alto, toda a gente o ouve, não é possível que não oiçam - marcando o ritmo a que o teu polegar dança na minha pele.

 

Olho-te de soslaio e maldigo o teu ar imperturbável, quase inocente. Reconheço esse leve trejeito nos lábios, discreto sinal do prazer que sentes, que não me escondes, que exibes por mim, só para mim. E a nossa estação que não chega, e os túneis que se sucedem, escuros, estonteantes, a tua respiração cada vez mais perto da minha nuca. E o teu polegar que me enfraquece, este arrepio que toma conta de mim, e tu falas, acho que falas, não sei o que dizes, talvez um qualquer carinho, uma obscenidade, só a minha pele te ouve, e as forças fogem-me, as pernas, não sinto as minhas pernas, ou sinto - sinto tanto, sinto tudo - e sustenho a respiração, tenho medo de gemer, sei que se respirar vou gemer, agarro o teu casaco, preciso de me agarrar, penso - ou já não penso - acredito que caio, que o comboio vai parar e eu não vou conseguir andar, vou ficar colada ao chão, como estou colada a ti.

 

(...)

 

Subimos as escadas, de mão dada, a correr. Um pouco mais à frente, a porta do cinema. "Chegámos a tempo" dizes. Obrigo-te a parar. Seguro-te a cara entre as minhas mãos: "Beija-me...". Sorris, abraças-me, e murmuras ao meu ouvido: "Vamos para casa"

publicado às 00:11


10 comentários

De golimix a 21.07.2015 às 08:34



Que dizer de um texto tão belo?

De Maria Alfacinha a 22.07.2015 às 12:16

Hummmm... quero mais?
'brigada

De anacb a 21.07.2015 às 09:21


lindo!

De Maria Alfacinha a 22.07.2015 às 12:17

Fico feliz, a sério...

De green.eyes a 21.07.2015 às 11:13

... foi o tema do filme que vos deixou assim !?

... adorei ...

De Maria Alfacinha a 22.07.2015 às 12:18

Ehehehehe foi antes, foi antes!
Nem chegaram ao cinema! :-)
Nem quero pensar no que seria...

De Paulo Vasco Pereira a 21.07.2015 às 11:31

Magnífica e invejável escrita.
Igualmente louvável criatividade.
Parabéns.

De Maria Alfacinha a 22.07.2015 às 12:20

nem sei o que diga para agradecer.
(é defeito meu, mesmo...)
Bem-vindo aO Meu Alpendre :-)

De Cris a 29.07.2015 às 00:07

És terrivelmente viciante!

De Maria Alfacinha a 29.07.2015 às 14:22

Espero que seja um bom vício, ou ainda começam a colar-me na testa avisos que posso fazer mal à saúde

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031




 






O Meu Alpendre


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D