Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Desinquietações

por Maria Alfacinha, em 27.10.15

desinquietações 

Brincaste com a colher dentro da chávena já vazia:
”Sonho, claro que sim. Todos nós sonhamos.
Há quem diga que não, e eu deveria acreditar, mas não consigo.
Se há algo que nos distingue do resto do mundo animal é a capacidade de sonhar. O facto de termos um polegar dá jeito, mas não é isso que nos torna especiais. É esta forma de olhar diferente que nos faz ver mais além. Mais além da sobrevivência, do bem-estar. Se não sonhássemos limitávamo-nos a vegetar no universo pequenino da nossa vida, na rotina confortável que nos contenta, sem surpresas, esse mundo que conhecemos e controlamos."

Pausaste a colher na boca, limpando-a, gulosa, da memória do café. Fitaste-me com olhos grandes de abertos, brandindo a colher de tal forma que me afastei em sobressalto:

"O sonho desinquieta-nos. Torna-nos grandes, mais capazes. Descobre-nos forças que os outros ignoram. É o sonho que nos faz criar. Não interessa o quê. Torna-nos diferentes, melhores. Não superiores, não melhores que os outros. Apenas melhores, pessoas melhores.”

Recostaste-te na cadeira, absorta no teu raciocínio, quase completamente esquecida de mim. A colher era a única coisa que te mantinha ali, como se fosse uma âncora pesada, impedindo que te perdesses no rumo das palavras que proferias:
“Gosto, palavra que gosto, da teoria de que todos temos direito aos nossos sonhos. É verdade.Todos temos direito. Nós e os outros. Mas se somos todos diferentes, suponho que os sonhos também o sejam. Estaremos condenados a sonhar sozinhos? Ou à busca, "ad eternum", de quem sonhe o mesmo que nós? Será possível unir sonhos diferentes num só? Haverá um segredo para a convivência feliz entre quem tem sonhos diferentes? Feliz, não contente! Não quero viver contente, não desejo isso para ninguém. Desejo-lhes felicidade, não contentamento. Claro que me baseio na crença de que a felicidade existe. Nada disto faria sentido se a nossa passagem por este mundo se resumisse a nascer, crescer, multiplicar-nos e morrer. E se assim for? Se a felicidade não existir? Teremos que deixar o sonho para os poetas?"

Suspiraste:
"Às vezes só me apetece ser velha para nada disto me apoquentar..."
E pediste mais um café.

in "Leitaria do Bairro"

publicado às 16:54


4 comentários

De Fatia Mor a 27.10.2015 às 17:42

Só não entendo porque a idade nos desapoquenta. Será o sonho uma inerência dos jovens, apenas?

De Maria Alfacinha a 27.10.2015 às 17:53

Nope... o sonho mantém-se e até aumenta em muitos casos.
O porquê (ou o como, o quando, o com quem...) é que deixa de ser preocupante. Usufrui-se, apenas. E todos os dias, se tudo correr bem

De Fatia Mor a 27.10.2015 às 17:54

Parece-me bem! Vou esperar que a idade me traga isso, também!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031




 






O Meu Alpendre


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D