Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Gente de bem

por Maria Alfacinha, em 27.07.15

abismo.jpg

 

Há coisas que me tiram do sério. A soberba de quem tudo sabe é uma delas. O á-vontade com que se julga quem nem sequer se conhece. As generalizações que são sempre - e eu que não gosto de usar a palavra - mas sempre, injustas. A palavra sacro-santa de quem foi/é um estudioso do assunto, pouco importa qual, há assuntos de todos os tamanhos e feitios. A não contestação das teorias que tais mentes brilhantes debitam sem pudor, nem cuidado, como se o simples facto de existirem fosse considerado uma bênção para a Humanidade. Os rótulos, que só deveriam ser utilizados para nos informar da composição dos produtos que compramos e que – pasmem-se os céus! – apesar de terem uma função muito específica, e sem margem de manobra para fantasias, nem sempre são correctos ou verdadeiros.

 

Ah, é tão fácil falarem do alto das vossas verdades, tomando como exemplo a vossa vida tão correcta, sem erros nem pecados, os prémios e louvores atribuídos pelos vossos pares, num mundo inalcançável para uma maioria que não teve família ou nome ou contactos e não falo de favores, mas de uma oportunidade para mostrar quanto se vale e provar que se é merecedor, por capacidade e engenho, sem ajudinhas nem empurrõezinhos. Com que facilidade se esquecem – ou não sabem, ou não pensam, ou pouco vos importa – que esses pobres desgraçados de quem falam, para quem, enquanto gente de bem, reservam os melhores conselhos de poupança, de conduta e de conformismo - porque a vida é assim e sempre assim será – tantas e tantas vezes não foram responsáveis pelo que lhes aconteceu, que fizeram (e continuam a fazer) o melhor que sabiam e que podiam, que acreditaram, que se deixaram encantar – pecado capital, para quem pouco ou nada tem, que o sonho está reservado a outros, quem sabe, mais capazes – que se deixaram enganar por quem se propôs conduzi-los a um outro destino mais justo mas que, apesar disso, não esmorecem, tentam entender, aprender, lutar para mudar um destino que ninguém quer e, em abono da verdade, ninguém merece.

 

Esses tantos – e são tantos! – não podem ser colocados no rol dos corruptos, manipuladores, aproveitadores de sentimentos ou profissionais do engano. E vós, ó mentes iluminadas, que não podem usar a desculpa da ignorância para as enormidades que proclamam, que se creêm capazes de construir um mundo melhor, vós os arautos de futuros risonhos e fartos que, garantem, só depender da vontade de cada um - revelando-se falsos profetas inventando milagres e deturpando a realidade – de vós, seria de esperar mais decência, decoro e sensibilidade. Do outro lado, do lado de quem vos ouve, está gente que, por vezes, se deita de estômago vazio de comida e coração vazio de esperança.

E gente de bem não insulta quem tem fome.

publicado às 16:12


2 comentários

De Cris a 28.07.2015 às 23:49

Ainda este fim-de-semana me deparei com uma pessoa assim. Acho que estamos em sintonia.

De Maria Alfacinha a 29.07.2015 às 14:18

Estamos em sintonia, sim :-)
Mas sabes o que ainda me surpreende?
Ouvir as tais das verdades de gente que, normalmente (ou será superficialmente?), nem se comporta assim...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031




 






O Meu Alpendre


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D